Acne na adolescência: impactos na pele, autoestima e saúde mental

Uma das doenças de pele mais comuns, a acne pode surgir por volta da adolescência e trazer impactos até a vida adulta. A acne vulgaris (nome científico) afeta cerca de 85% dos jovens em fase de crescimento. Basicamente, o que acontece é o aparecimento de pequenas lesões na face, que podem ou não conter pus. Quando ela manifesta-se por um longo período de tempo, é considerada crônica e necessita de tratamento. A acne pode ser angustiante e persistente pois, muitas vezes, quando as lesões começam a melhorar, outras parecem surgir.

Além das lesões da pele, outro problema da acne é o emocional, pois aparecem com frequência no rosto, o que pode causar impactos severos na autoestima. Durante a adolescência, a validação social é muito importante, e a doença pode desencadear ataques de bullying, isolamento e rejeição. Quando manuseadas indevidamente, as lesões podem deixar cicatrizes profundas na pele, o que faz com que os impactos na aparência perdurem durante a vida adulta.

Jovens com acne tendem a ser mais fechados, infelizes e solitários do que adolescentes que não passam pelo problema. Quando há tentativas sem sucesso de tratamento, a frustração pode ser ainda maior. Portanto, lavar muito o rosto, fazer o uso exagerado de cremes, usar receitas caseiras e espremê-las são hábitos que devem ser evitados.

Por se tratar de um país cujo clima é tropical, com altas temperaturas, o Brasil possui pelo menos 56% da sua população acometida pela acne. Durante a adolescência, o fator desencadeador das acnes é o excesso de hormônios produzidos pelo organismo, que causam mudanças nas glândulas da pele, o que aumenta a oleosidade. A acne começa quando o óleo se mistura com células mortas da pele e obstrui os poros. Elas aparecem principalmente na linha T (testa, nariz e queixo), e em casos mais severos, podem atingir as costas.

A boa notícia é que a acne é uma doença tratável. Além de alguns medicamentos, o dermatologista pode indicar uma rotina de cuidados, que irá melhorar o controle da oleosidade, e, consequentemente, uma redução significativa nas lesões. Quando as cicatrizes da acne já estiverem definidas, o tratamento dermatológico pode auxiliar para diminuir a aparência e profundidade delas.



Vanessa Gheno © 2018. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por

ezgif.com-webp-to-png.png